Youtube: a maior plataforma de vídeos da internet

Empresa comprada pelo Google em 2006 domina mais de 50% do mercado no segmento

Brasil Econômico

O Youtube é um site destinado ao compartilhamento de vídeos, onde qualquer pessoa pode se cadastrar e subir ou assistir aos conteúdos. A plataforma foi criada por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim em fevereiro de 2005. 

Com menos de dois anos de existência, o Youtube foi comprado pelo Google. Em outubro de 2006, o gigante da tecnologia adquiriu a empresa pelo valor de US$ 1,65 bilhões, na busca pela expansão do mercado de publicidade de vídeos e pela consolidação como um dos principais serviços relacionados à internet. 

Para disponibilizar o conteúdo ao usuário, o site de vídeos, que é disparadamente o mais popular do segmento, dominando 50%  do mercado, utiliza os formatos Adobe Flash e HTML5. Ele permite que seja hospedado qualquer tipo de conteúdo, com exceção daqueles protegidos por copyright. Em alguns casos, é possível encontrar vídeos que tiveram apenas o áudio removido, pois apenas esta parte é protegida. Mesmo com a retirada, no entanto, ainda existe uma grande quantidade de conteúdo considerado ilegal.

Existe uma infinidade de filmes, videoclipes e materiais amadores no site. Além disso, o site fornece mecanismos para a disponibilização de seus vídeos em outras plataformas, como os blogs e os sites pessoais. 

O Youtube foi inaugurado oficialmente em novembro de 2005
Reprodução
O Youtube foi inaugurado oficialmente em novembro de 2005

Logo após ser comprado pelo Google, em dezembro de 2006, o Youtube foi eleito pela revista Time como a melhor invenção do ano. Uma das principais razões para a premiação foi a máxima de que o site criou "uma nova forma para milhões de pessoas se entreterem, se educareme se chocarem de uma maneira como nunca foi vista". Apesar de todo esse sucesso, até o ano de 2010, quando o site completou cinco anos, ele não havia gerado lucros para seus proprietários.

História do Youtube

Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim, os fundadores da plataforma, eram empregados da PayPal. Hurley estudou design na Indiana University of Pennsylvania, enquanto e Chen e Karim estudaram juntos ciência da computação na University of Illinois at Urbana-Champaign.

Apesar de o domínio "youtube.com" ter sido ativado no dia 15 de fevereiro de 2005, o site foi sendo desenvolvido nos meses subsequentes. No mês de maio, os criadores apresentaram ao público uma prévia do site, mas o lançamento oficial aconteceu apenas em novembro. 

A primeira publicação do site foi feita por Karim, no dia 23 de abril de 2015. O vídeo, de apenas 18 segundos, é intitulado "Me ate the zoo" e mostra o co-fundador da plataforma em frente a uma área de elefantes em um zoológico, dizendo que os animais possuem uma tromba muito grande. Confira:

;

A compra do site pelo Google foi anunciada em 9 de outubro e conctretizada em novembro do ano seguinte. O negócio aconteceu após a apresentação de três acordos do Youtube com empresas do setor de comunicação com a intenção de evitar processos baseados em infrações relativas aos direitos autorais. Na época, a empresa continuou trabalhando de forma independente com os fundadores e outros 67 funcionários. 

Sistema

A plataforma utiliza tecnologia baseada em Adobe Flash Player para fazer a reprodução de seus vídeos. Isso torna possível a exibição de conteúdos com qualidade de tecnologias que, normalmente, exigem download e instalação de plugins no navegador, como Windows Media Player e RealPlayer. 

Apesar de o Flash 8 também exigir um plugin, a Adobe considera que ele já esteja instalado em cerca de 90% dos computadores que possuem acesso à internet. O Youtube usa o codec de vídeo Sorenson Spark e o Flash Video para a reprodução. 

O Flash, aliás, foi um dos maiores trunfos do site. Isso porque a plataforma não foi a primeira desenvolvida com a função de reproduzir vídeos. Segundo Julie Supan, responsável pela diretoria de marketing do marketing do Youtube no início do funcionamento, afirmou que já havia por volta de 280 sites destinados a isso quando a plataforma surgiu. 

Estes outros sites, no entanto, apresentavam complicações na hora de serem usados. O Youtube facilitou tudo porque não era necessário que os usuários se preocupassem com o codec dos vídeos para que eles funcionassem adequadamente. Todos os conteúdos eram automaticamente convertidos e reproduzidos em Flash. 

Além disso, outro recurso também se mostrou muito importante desde o início: o número de visualizações. Os outros sites não mostravam quantas pessoas já tinha assistido aos vídeos, portanto, no Youtube, os usuários teriam uma motivação maior para popularizar seus conteúdos. 

A incorporação dos vídeos provenientes do Youtube em outros sites também foi de grande importância para o crescimento da plataforma, pois o conteúdo se popularizava no MySpace – principal rede social da época. 

Outra vantagem em relação aos outros sites era a interface, que, de início, era extremamente simples. Tão simples que não era possível nem escolher qual vídeo assistir: o site escolhia automaticamente e acabava repetindo muito, pois havia pouco conteúdo. A necessidade de alimentar o site era tão grande que mulheres chegaram a receber ofertas de US$ 20 para enviar vídeos, mas as solicitações nem ao menos foram respondidas. 

O primeiro viral

A primeira vez que o Youtube teve um vídeo que pode ser considerado viral – acima de um milhão de visualizações, aconteceu ainda em setembro do ano de 2005 e teve um brasileiro envolvido. Foi um vídeo da Nike, que mostrava o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho fazendo calçando chuteiras e fazendo embaixadinhas com a bola. Confira abaixo: 

O número alcançado pelo vídeo da Nike foi muito expressivo, levando em consideração o fato de que, na época, a banda larga ainda não era tão bem difundida e o acesso a este tipo de conteúdo era muito mais reduzido. Inclusive, a esta altura, a plataforma ainda estava em sua versão beta. Esta característica só foi alterada no mês de dezembro do mesmo ano, quando a Sequoia Capital colocou um total de US$ 3,5 milhões na plataforma, permitindo maior investimento e expansão da banda larga do site. Mesmo com toda a limitação, o site já enviava, nessa época, 8 terabytes diários de dados. 

Mídia e direitos autorais

A partir do final de 2005, o site começou a ganhar mais força e aparecer em canais de televisão. Um vídeo chamado "Lazy Sunday", proveniente do programa "Saturday Night Live" foi incluído na plataforma e se tornou um sucesso de visuializações, mas, ao mesmo tempo, também causou os primeiros problemas relacionados aos direitos autorais. 

Já no mês de fevereiro de 2006, o canal "NBC", dos Estados Unidos, solicitou que o vídeo fosse retirado do site, junto com outros 500 clipes que teriam violado o copyright. O Youtube conseguiu fazer com que o vídeo voltasse para o site, mas ele não está mais disponível para usuários que vivem fora dos Estados Unidos. 

Neste mesmo ano, o Good Morning America começou a exibir um quadro que mostrava os vídeos que haviam viralizado no Youtube. Isso ajudou a impulsionar o sucesso do site, que passou a ser apresentado com frequência em rede nacional. 

Este período também foi impulsionado por um dos maiores sucessos da história do site, o vídeo "Evolution of Dance". Este compilado com as danças mais populares das últimas décadas se manteve até 2010 como o mais assistido da história do site. Confira: 

Além da televisão, o site também começou a aparecer em mídias como as revistas. Um suposto videoblog, feito por uma garota conhecida como Lonelygirl15, se tornou um fenômeno e chegou até mesmo a estampar a capa da Wired. Entretanto, depois foi descoberto que tudo não passava de um show roteirizado da Hollywood Creative Artists Agency, pensado especialmente para o site. 

O salto de popularidade do Youtube em 2006 pôde ser facilmente percebido. Quando o ano começou, a média de visualizações diárias era de 15 milhões. Esse número mais que dobrou no mês de março, quando a média atingiu o patamar de 40 milhões de views por dia. No meio do ano, em junho, o número já era de 80 milhões. 

Desafios para o Google

Quando a plataforma foi comprada pelo Google, a empresa precisou lidar com um grande problema: os custos de tráfego. Como o site ainda não possuía espaços para publicidades e os gastos mensais giravam em torno de US$ 1 milhão, não estava sendo gerada receita. 

Foi necessário, então, fazer a implementação de espaços de publicidade na plataforma – algo executado apenas no ano de 2007. De início, as propagandas eram baseadas apenas em faixas semitransparentes que eram exibidas na parte inferior de um vídeo, logo nos primeiros segundos. Atualmente, existem filmes colocados antes do início dos vídeos, que podem ser pulados pelo usuário após cinco segundos de apresentação. 

Também foi preciso que o Google enfrentasse os problemas com direitos autorais, para evitar um excesso de gastos provenientes de processos e, até mesmo, um eventual encerramento das atividades do site. Por conta disso, uma das primeiras ações da empresa foi excluir mais de 30 mil vídeos que eram protegidos por direitos autorais. 

Depois, para evitar o surgimento de novos conteúdos nessas condições, o Google inaugurou a ferramenta Content ID. Ela era capaz de fazer a identificação de materiais com direitos autorais, dando três opções a quem os detinha: deletar o conteúdo, deixar que o vídeo continuasse no ar ou receber o dinheiro proveniente dos anúncios. 

Outra medida tomada para evitar problemas com direitos autorais foi reduzir a duração máxima dos vídeos, que ficou restrita a 10 minutos. Isso aconteceu porque alguns usuários estavam enviando episódios inteiros de séries, além de outros materiais com copyright. No entanto, esta regra era burlada com o envio dos episódios em partes separadas. Por exemplo, se o capítulo tinha 40 minutos de duração, ele era enviado em quatro vídeos de 10 minutos cada. Posteriormente, em julho de 2010, essa limitação passou para 15 minutos. Alguns dias após o anúncio, porém, a empresa estabeleceu que o usuário que nunca havia violado copyrights estaria livre para enviar vídeos de qualquer duração.

Parcerias

Uma das principais estratégias que o Youtube usou para assegurar seu crescimento foram as parcerias. No ano de 2007, a plataforma inaugurou uma ação entitulada de Programa de Parceria. A ideia era que os usuários que criassem conteúdo para o site fossem recompensados financeiramente pelos materiais que tivessem bons resultados em relação aos números de visualizações. A ação estimulou a criação de vídeos originais e legitimou o aumento de visitas ao site. 

Já em 2009, surgiu uma outra parceria, que, em relação ao número de visualizações, se tornou uma das mais bem sucedidas. A ideia foi criar um acordo com as maiores empresas de música do mundo, que estavam reclamando da pirataria difundida no site. Dessa forma, seria possível que o site oferecesse conteúdo musical dentro da legalidade, pois o trato permitia que fossem exibidos videoclipes destas gravadoras. Foi assim que surgiu o Vevo, hoje o canal mais assistido de todo o site. 

O sucesso que concretizou o Youtube como o maior site de vídeos também veio da música. O clipe da música Gangnam Style, do coreano Psy, alcançou a marca de um bilhão de visualizações em dezembro de 2012. O impressionante número fez com que o Google fosse obrigado a trocar o algorítimo que fazia a contagem de views, pois o vídeo conseguiu estourar o limite que era estabelecido pelo anterior. 

Problemas com a Justiça brasileira

No Brasil, o Youtube já teve problemas com a Justiça. No ano de 2007, o site chegou a ficar fora do ar por um tempo, após uma derrota judicial para a apresentadora Daniela Cicarelli.

A ação aconteceu porque Cicarelli solicitou ao site que retirasse do ar um vídeo em que aparecia em momentos íntimos em uma praia da Espanha com o então namorado Renato Malzoni. O pedido foi negado pela empresa e culminou no processo por parte da apresentadora. No ano de 2015, foi determinado pela Justiça que a empresa deveria pagar indenização no valor de R$ 500 mil à Cicarelli.

Já em 2012, teve início outra questão envolvendo o Youtube e a Jutiça do Brasil. A família do garoto Nissim Ourfali solicitou a retirada de um vídeo que havia viralizado. Se tratava de um vídeo feito para o Bar Mitzvah de Ourfali, em que ele aparecia cantando uma paródia de "What Makes You Beautiful", da banda One Direction. 

O conteúdo foi divulgado inicialmente pela própria família, mas foi retirado do ar posteriormente. No entanto, cópias já haviam começado a circular em novas postagens realizadas na plataforma. 

A Justiça, no mesmo ano em que a família entrou com o pedido, já havia dado liminar favorável para a remoção de partes do conteúdo, mas, em 2014, o pedido de exclusão foi removido, com a justificativa de que não seria possível deletar todas as referências que já haviam sido feitas ao garoto.

A família recorreu e conseguiu mudar a decisão. Em 2016, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) definiu que o Google deveria excluir todos os vídeos de Ourfali do site. A decisão foi tomada pela 9ª Câmara de Direito Privado, considerando que os provedores de conteúdo são obrigados a deletar conteúdos que possam ser prejudiciais para a imagem de adolescentes, mesmo que não haja indicação de endereço das páginas pela parte. 

Youtube Red

A plataforma lançou, no ano de 2015, uma versão paga. Trata-se do Youtube Red. O serviço foi inaugurado como uma resposta aos usuários que pediam mais opções ao assistir seus conteúdos favoritos, mais formas de apoiar seus criadores preferidos e, acima de tudo, a opção de assistir seus vídeos favoritos sem anúncios.

A nova versão do Youtube entrou no ar oficialmente no dia 28 de outubro, custando US$ 9,99 ao mê. Além da possibilidade de ver os vídeos sem anúncios, o Youtube Red também dá ao usuário a opção de guardar vídeos para assistir mais tarde, de maneira offline no celular ou no tablet, e de tocar vídeos de plano de fundo – recurso interessante para quem escuta músicas pelo site. 

Além disso, o Youtube Red também proporciona conteúdo exclusivo aos assinantes. Algumas dessas produções próprias já ficaram disponíveis no ano de 2016. Conheça algumas: 

Scare PewDiePie: Nesta série que mistura realidade com aventura o youtuber Felix Kjellberg se depara com situações aterrorizadoras inspiradas em seus jogos favoritos. O título é dos mesmos criadores e produtores executivos de 'The Walking Dead' da Skybound Entertainment e da Maker Studios.

Sing It!: Das produtoras Fine Brothers Entertainment e Mandeville Films nasceu a 'Sing It!', uma comédia romântica que satiriza as competições de canto ao estilo reality-show que já se tornaram uma peça central da cultura pop.

Lazer Team:  Neste longa-metragem que mistura comédia e ação das produtoras Rooster Teeth e Fullscreen Films quatro "losers" (perdedores) de cidades pequenas tropeçam em uma nave alienígena com uma carga misteriosa, iniciando uma batalha para salvar a Terra de um inimigo todo-poderoso.

A Trip to Unicorn Island:  Da equipe de Astronauts Wanted este longa-metragem promete dar aos fãs um olhar extraordinário sobre a vida e jornada de Lilly Singh, outra youtuber, que embarca em uma tour mundial com 26 cidades na qual ela precisa lembrar de praticar o que prega: a felicidade é a única coisa pela qual vale a pena lutar.

Single by 30: Nesta série que é meio drama e meio romance da Wong Fu Productions e da New Form Digital, dois melhores amigos da escola fazem uma promessa de se casar um com o outro caso continuem solteiros aos 30. Uma década mais tarde, com os 30 se aproximando rapidamente, a tentativa de defender a promessa se desenrola de maneira inesperada. Estrelado por Harry Shum Jr. e Kina Grannis.

Fight of the Living Dead: Em um experimento social sem precedentes ao estilo reality-show da Alpine Labs, essa série reúne talento populares do YouTube para prendê-los em um apocalipse zumbi assustadoramente realista. Eles devem usar seus instintos e habilidades de jogo para sobreviver e ganhar o prêmio da sobrevivência.

Youtube Music

O Youtube Music é um serviço de streaming de vídeos voltado para a reprodução de músicas que foi lançado pela plataforma no ano de 2015. O aplicativo está disponível em versão gratuita, que inclui anúncios. 

Quem assina o Youtube Red, no entanto, pode se livrar das propagandas, pois as contas são conectadas. Além disso, o assinante também passa a contar com outros recursos, como a possibilidade de salvar as músicas para ouvir offline, por exemplo. 

O serviço funciona por meio de um sistema inteligente, que visa fornecer um conteúdo personalizado para cada usuário. Para isso, o aplicativo usa sua tecnologia para identificar o gosto musical de quem está escutando. A conta no Youtube Red também permite acesso a outros serviços, como o Youtube Gaming e o Google Play Music – outra opção para as pessoas que desejam utilizar um serviço de streaming musical. 

Youtube Gaming

O Youtube Gaming foi anunciado em meados de 2015. O serviço se trata de um canal totalmente voltado para jogos eletrônicos, que funciona não somente por meio do site, mas também na versão de aplicativo. 

Este recurso funciona como uma forma de adicionar canais a uma coleção, facilitando assim a visualização dos vídeos relacionados ao assunto. Também é possível realizar assinaturas dos canais que você deseja receber notificações. 

Essa apresentação de vídeos que envolvem apenas os games é possibilitada por conta de um filtro criado pela plataforma, que exclui automaticamente os conteúdos que não tenham relação com o assunto de especialidade da ferramenta. 

Com este recurso, a previsão é de que mais de 25 mil games criem páginas voltadas especialmente para a plataforma. Assim, a intenção do Google de simplificar o acesso a este tipo de conteúdo deve ser concluída com sucesso. A ideia é que sejam adicionados, ao longo do tempo, não somente vídeos de jogos recentes, mas também títulos mais antigos, que já não tenham tanto espaço atualmente. 

Além disso, os usuários que criam conteúdo de games receberam novas funcionalidades, como a possibilidade de fazer transmissões de partidas ao vivo, excluindo a necessidade de marcar um horário com antecipação para isso. 

Youtube Kids

Também em 2016, a empresa apresentou um novo segmento da plataforma, o Youtube Kids. Trata-se de um aplicativo criado para fornecer o conteúdo educativo. Dessa forma, é possível que os pais tenham mais controle sobre o que seus filhos estão assistindo. É recomendado para crianças de 2 a 8 anos.

Todo o conteúdo que fica disponível no aplicativo precisa passar por uma avaliação antes de ir ao ar, assim evitando que seja encontrado conteúdo inadequado. Logo no primeira vez que o aplicativo é acessado, é possível que os responsáveis definam especificações como a faixa de idade, por exemplo. 

Também é possível escolher se a criança conseguirá ou não realizar buscas dentro do aplicativo. Se os pais escolherem por não liberar, estará disponível somente o acesso para as categorias de séries, músicas, explorar e aprender. 

Outros recursos

Com o passar dos anos, o Youtube avançou e deixou de lado a interface simples e nada interativa, passando a ofercer diversos recursos para seus usuários. Uma destas ferramentas foi lançada em 2008, as Anotações. Esta ferramenta passou a permitir a adição de informações ao vídeo, como links que possibilitem escolher qual a próxima cena a ser exibida ou o encaminhamento para outro vídeo, por exemplo. 

Outra ferramenta, lançada em 2012, facilitou a edição dos vídeos lançados no site: um editor próprio. Com o recurso, tornou-se possível que os usuários fizessem edições já no próprio site, sem precisar de outro programa. A ferramenta permitia, por exemplo, borrar o rosto de pessoas. Este recurso foi ampliado no ano de 2016, quando a empresa anunciou que seria possível desfocar qualquer ponto do vídeo, como placas de carro. O ponto em questão nem precisa ser fixo, pois, se ele estiver em moviemnto, a ferramenta é capaz de acompanhar este deslocamento.

No ano de 2015, foi disponibilizado um plugin que facilitou a visualização de vídeos para os usuários do site, o Sideplayer. Ele é gratuito e foi desenvolvido para ser instalado no Google Chrome, permitindo que os vídeos sejam assistidos enquanto a pessoa navega por outras abas. De maneira bastante simples, o programa cria uma pequena janela de reprodução para o vídeo que fica sobreposta ao navegador, no canto superior direito da tela.

Para usar o Sideplayer, tudo que o usuário precisa fazer é baixar o programa na loja virtual do Google Chrome e reiniciar o navegador. Em seguida, será possível ver no canto superior direito do Google Chrome um atalho para o Sideplayer. Ao clicar lá, o usuário verá uma janela na qual poderá colar a URL do vídeo e iniciar a reprodução.

O Sideplayer também cria botões de atalho no YouTube, que facilitam o acesso ao serviço. Quando o usuário for assistir a um vídeo da forma convencional, poderá ver, ao lado do botão “Adicionar”, uma nova função chamada “Play in Sideplayer”. Se selecionada, esta ferramenta ativa o plugin automaticamente e inicia a reprodução do vídeo no Sideplayer

A maior vantagem do Sideplayer em relação a outros programas do gênero é que, por funcionar de forma integrada ao navegador, não existe a necessidade do usuário instalar um segundo programa na seu computador.

Em 2016, houve o lançamento do Re: View, serviço de newsletter da plataforma. O produto é caracterizado como um e-mail mensal enviado para usuários que sejam cadastrados no site, sempre apresentando os destaques do período.

O serviço é realizado de forma mais direcionada, enviando conteúdos específicos, de acordo com as pesquisas realizadas pelos usuários, para agradar a todos. No primeiro envio, em julho, os cadastrados que procuram majoritariamente por vídeos de entretenimento, receberam os conteúdos que tiveram mais repercussão no mês, como, no caso, a música "Sim ou Não", da cantora Anitta em parceria com o colombiano Maluma. 

A cada mês, um convidado diferente fica responsável pela organização do conteúdo que será enviado aos usuários pela newsletter. Nos primeiros envios, o encarregado foi Felipe Castanhari, do Canal Nostalgia. 

Além do envio de vídeos que bombaram para os usuários, o Re: View também beneficia os criadores a partir da apresentação de tendências e insights sobre quais conteúdos estão alcançando os melhores resultados. A newsletter apresenta as páginas que fizeram sucesso no mês, também apontando canais que podem trazer inspiração. No primeiro mês, por exemplo, o conteúdo foi voltado, em maior parte, para quem trabalha com games. 

Em 2016 o Youtube também decidiu incluir um recurso que mostra a prévia dos vídeos pesquisados. A nova ferramenta funciona da mesma forma que nos sites já consagrados por apresentar o preview – em geral, os de conteúdo adulto. O usuário precisa apenas posicionar o mouse sobre algum dos thumbnails – miniaturas que servem como capa do vídeo – que aparecem na tela. Essa ação faz com que seja exibida uma sequência de imagens sem a necessidade de abrir o vídeo. 

A novidade não ficou disponível para todos os usuários logo de cara, mas algumas pessoas relataram a visualização dos previews em alguns vídeos nos primeiros dias após o anúncio do recurso, que foi realizado no mês de agosto.

No celular

A plataforma mobile do Youtube foi lançada no ano de 2007. A base escolhida para a disponibilização do conteúdo foi xHTML , usando vídeos 3GP com codec H.263/AMR, além de streaming RTSP. 

Conteúdo para a Apple

Foi anunciado pela Apple também em 2007, no dia 20 de junho, que o Youtube passaria a estar acessível na Apple TV após ser feita a instalação de uma atualização no software. Isso incluía, além da buca por vúdeos, a navegação pelas categorias e também a possibilidade de fazer login diretamente por meio do aplicativo.

além disso, a Apple também anunciou anunciou no mesmo dia que o site também teria seu conteúdo disponibilizado para iPhone. O modelo de reprodução escolhido foi baseado em conexão Wi-Fi ou EDGE.

Smart TV

Atualmente, o Youtube também pode ser acessado diretamente por aplicativos instalados nas televisões smarts. É possível ver os destaques e fazer pesquisas, facilitando a reprodução do conteúdo dos sites em telas grandes. 

Críticas

Apesar de muito elogiado, o serviço do Youtube também recebeu críticas. Um ponto que foi alvo de avaliações negativas foi a qualidade técnica dos vídeos do site. Com o tempo, no entanto, a maior profissionalização do conteúdo fez com que a qualidade aumentasse. Além disso, a banda larga de alta velocidade também ajudou nesta melhora. 

Outra crítica que o site recebeu aconteceu por conta de spams. Por conta da melhora na filtragem de spam nos e-mails, spammers começaram a usar a plataforma forma de fazer propaganda. Vídeos populares, por exemplo, em muitos casos recebem comentários com links que levam para sites externos, normalmente acompanhados por uma frase chamativa. 

Com a ideia de combater este tipo de spam, a empresa passou a bloquear, no ano de 2006, comentários que continham URLs. Comentários desse tipo são descartados e não aparecem para os outros usuários. No ano posterior, esse recurso avançou paracomentários dos perfis. No entanto, ainda é possível fazer a postagem de links nos "bulletins", grupos de discussão e mensagens privadas.

Outro modo econtrado para reduzir a quantidade de spams foi o captcha. Caso alguém poste uma série de comentários em um espaço de tempo curto, será necessário completar o código que surge na tela. 

Spammers, no entanto, continuam encontrando outras maneiras de agir. Por exemplo, eles costumam postar coisas que não estão relacionadas aos vídeos, como as correntes. Também existem alguns que enviam mensagens diretamente para a caixa de correio de outros usuários, normalmente como um texto puro,

Curiosidades

Atualmente, o site conta com mais de 1 bilhão de usuários. Juntos, eles enviam mais de 300 horas de vídeo a cada minuto. Dessa forma, a cada mês a plataforma recebe mais conteúdo do que tudo aquilo que foi produzido pela soma dos canais de televisão dos Estados Unidos nos últimos 60 anos. 

A publicidade também vem ganhando muita força no site. Em 2016, um vídeo bateu o recorde como o comercial mais assistido da história de plataforma no Brasil. Trata-se do filme "Gabriel", do Bradesco, que fez parte da divulgação dos condutores da Tocha Olímpica dos Jogos do Rio 2016 e acumulou mais de 35 milhões de visualizações. Confira o vídeo: 

A propaganda, feita R/GA, é estrelada por Gabriel Neris, paratleta brasileiro. A peça publicitária mais vista do Youtube no Brasil mostra a história do garoto, que teve a perna amputada aos dois anos. Um dos pontos principais do filme remete a uma prova de atletismo que Gabriel fez em 2015, quando sua prótese, que não era adaptada para a prática do esporte, soltou logo no início. Ele, no entanto, carregou a prótese nas mãos e conseguiu finalizar a competição.

Muitas pessoas hoje em dia utilizam o site para exercer seu trabalho. São os chamados youtubers. Eles fazem vídeos profissionalmente e ganham muito dinheiro com isso. Muitos deles acabam virando verdadeiras celebridades, influenciando jovens e até mesmo lançando livros que, no Brasil, ficam entre os mais vendidos em muitos casos. 

O youtuber mais bem pago do mundo, o sueco Felix Kjellberg, do canal PewDiePie, fatura, em média, R$ 45,5 milhões por ano. Ele tem o canal mais bem sucedido do site, com mais de 45 milhões de inscritos. 

A maior parte da renda obtida pelos profissionais do Youtube são provenientes de publicidade, mas muitos deles conseguem contratos com canais de televisão e até mesmo com a indústria cinematográfica. 

Também existem outras formas de ganhar dinheiro no Youtube. Confira: 

1) Ganhe tráfego para o seu site

Se você escreve um site ou blog e quer ganhar dinheiro com ele, você precisa gerar tráfego e isso pode ser feito com o Youtube. Use o Creator Playbook, uma cartilha online que traz dicas de como melhorar o conteúdo do material criado e otimizar para ganhar visitantes e dinheiro.

Depois de fazer a leitura, comece a migrar alguns conteúdos já prontos para vídeos, além de criar conteúdos novos. Lembre também de colocar o link do seu site na primeira linha da descrição do seu vídeo, assim direcionando o tráfego para o seu site. 

2) Crie produtos e faça pesquisa de marketing 

Se você está criando seus próprios produtos, o Youtube oferece meios ilimitados de promovê-los. Um deles é adicionar o link para o seu produto ou serviço na descrição do vídeo que você vai postar no YouTube, para que as pessoas possam comprá-lo.

O site também é uma excelente plataforma para fazer pesquisa de marketing. Por meio dele, você pode descobrir se aquela ideia inovadora e brilhante é também lucrativa. Se você tem uma ideia para um produto, mas precisa de dinheiro, pode criar alguns vídeos antes de iniciar uma campanha no Kickstarter.com, por exemplo. As visualizações e os comentários nos seus vídeos dirão se a sua ideia é viável da maneira como você imaginou.

3) Venda outros produtos como um parceiro afiliado

"Afilliare marketing" significa vender produtos em troca de comissão. Centenas de milhares de empresas oferecem negócios atrativos para chamar a atenção de "affiliate marketers", ou parceiros afiliados em potencial para promover seus produtos. Além disso, há várias plataformas afiliadas das quais você pode participar, como Click-Bank, Comission Junction e ShareASale.com. Para ganhar dinheiro no Youtube como um parceiro afiliado, revise seus produtos afiliados em vídeo ou crie tutoriais  de"como usar esse produto". Não se esqueça de colocar o link para os seus produtos na descrição do seu vídeo no Youtube, nem de usar seu link afiliado, caso contrário, você pode não ganhar os créditos pelas vendas.

4) Monetize seus vídeos com o Programa de Parcerias

Depois de ter criado vários vídeos, é hora de fazer parte do Programa de Parcerias. Tudo o que você precisa é permitir que o seu canal seja monetizado, e você receberá sua quota de receitas de publicidade no Youtube. 

5) Faça tutoriais

Tutoriais fazem muito sucesso no Youtube. Se você sabe fazer alguma coisa, pode ensinar os outros e ganhar dinheiro com isso. Vídeos de moda e beleza são muito populares.

6) Se especialize em metadados

Cem horas de vídeos são postados a cada minuto no Youtube. Isso significa que a competição por atenção é enorme. Você precisa fazer tudo o que puder para que seu vídeo seja encontrado. Os metadados - dados que fornecem informações sobre seus vídeos - podem ajudar. Para aprender a criá-los, basta acessar o Creator Playbook.

O Youtube é e segundo maior buscador do mundo, e usa metadados - o título do seu vídeo, as tags e a descrição - para indexar o vídeo corretamente. Para maximizar sua presença em busca, promoção, vídeos sugeridos e ad serving, veja se seus metadados estão otimizados também.

Otimizar seus vídeos para pesquisa faz a diferença entre o sucesso e o fracasso, então não deixe de fazê-lo. Quando você pegar o jeito, poderá procurar tesouros escondidos, vídeos realmente bons, mas que não atraem a atenção que merecem, e então oferecer serviços de otimização para os seus criadores. Você pode também criar uma série online e vender seu acesso pelo programa pay per view do Youtube.

7) Construa sua marca usando o YouTube

Tom Peters, guru do marketing, já dizia em 1997: "Você é uma marca, você tem poder". Não importa qual seja o seu emprego, Youtube pode ajudá-lo a se tornar conhecido pelos seus pontos fortes e ganhar dinheiro. Mesmo que você não saiba exatamente como lucrar no Youtube, comece do básico, fazendo vídeos sobre os seus interesses. Você pode acabar tropeçando em uma mina de ouro.

8) Torne seu filho ou seu animal de estimação uma estela

Você pode gravar um vídeo do seu filho, do seu animal de estimação ou de um arco-íris duplo, e se tiver sorte, ver esse conteúdo se tornar viral. Então mantenha sua câmera em mãos, ou melhor ainda, aprenda a gravar um bom vídeo no celular. Se você vir alguma coisa fofa, grave e publique o vídeo. Não há como saber qual ou quem será a próxima sensação do Youtube.

Baixar vídeos

O Youtube é uma plataforma essencialmente online e não oferece opções para download dos vídeos. No entanto, existem sites alternativos que permitem baixar o conteúdo sem precisar instalar nenhum programa. Conheça alguns deles e saiba como utilizá-los: 

1) SaveFrom.net

O site SaveFrom.net é um dos mais conhecidos entre as pessoas que costumam procurar o serviço de download de vídeos do Youtube. Ele é conhecido pela velocidade que entrega e por oferecer diferentes opções de formato e resolução – que influencia a qualidade de imagem do vídeo.

É possível escolher, por exemplo, o formato MP4 com resolução de 360p, 480p, 720p e 1080p. Também estão disponíveis os formatos de 3GP e WebM, além de áudio em MP3. O uso é bem simples: basta colar o link do vídeo desejado, escolher o formato e clicar em "baixar".

2) KeepVid

A principal vantagem encontrada por quem escolhe o KeepVid é uma variedade maior nas opções de resolução de imagem. Fora isso, quem deseja baixar apenas o áudio, tem uma outra opção de formato além do MP3: o M4A. 

A utilização do KeepVid também é muito simplificada. Para baixar um vídeo do Youtube diretamente para o computador, basta colar o link e clicar em "download". Na sequência, clique no formato e resolução desejados e a transferência será iniciada automaticamente. 

3) CilpConverter

Apresentando outra função além de apenas fazer o download dos vídeos, o ClipConverter se apresenta como um dos sites mais completos para este serviço. Ele permite que os usuários cortem apenas uma parte do vídeo para baixar, caso não haja a necessidade de ter o material inteiro. Basta marcar o tempo de início e final do corte. 

Além disso, o site também oferece formatos de vídeo não encontrados nos outros sites, como o AVI e o MOV. Em relação à conversão para áudio, o ClipConverter é o mais completo, pois, além de MP3 e M4A, também oferece o formato AAC. Agora que você sabe como baixar vídeos online, basta escolher alguma das opções e guardar seus conteúdos favoritos.

Todas as notícias sobre Youtube