Anitta: a revolução da música pop brasileira

Conheça a trajetória de Anitta, a cantora carioca que despontou no funk e se tornou o maior nome da música pop nacional

Nome de maior sucesso da nova geração da música brasileira, Larissa de Macedo Machado, conhecida no país inteiro pelo nome artístico Anitta, trilhou uma incrível trajetória e superou muitos desafios até conquistar a carreira brilhante que tem hoje. O reconhecimento da cantora, que já extrapola as fronteiras do Brasil, chegou depois de muito trabalho, dedicação e planejamento.

Anitta nasceu no dia 30 de março de 1993, na cidade do Rio de Janeiro. A mãe, Miriam Macedo, era uma artesã casada com o vendedor Mauro Machado, separados quando ela ainda tinha apenas um ano e oito meses.  De origem humilde, Larissa teve o primeiro contato com a música na igreja Santa Luzia, na comunidade de Honório Gurgel, zona norte do Rio. Incentivada pelos avós maternos, Pedro e Glorete, ela entrou para o coral da igreja com aproximadamente oito anos de idade e logo se destacou entre as outras crianças.

Aos 11 anos, a carioca passou pelas primeiras dificuldades financeiras. Em 2004, o pai da cantora, que sempre arcou com as despesas para a criação da filha caçula e do irmão Renan, foi à falência e se viu obrigado a tirar Larissa do Colégio São Sebastião, escola particular do bairro de classe média Rocha Miranda. No 5º ano do Ensino Fundamental, ela foi transferida para a Escola Municipal Itália, onde estudou até o 3º ano do Ensino Médio. 

Anitta
Divulgação
Anitta

O funk abre portas

Dedicada aos estudos, a menina terminou um curso técnico de administração aos 16 anos, o que lhe garantiu uma vaga como estagiária na mineradora Vale do Rio Doce. Na mesma época, a adolescente começou a investir em sua carreira como cantora e a compartilhar vídeos de covers nas redes sociais. Os primeiros passos dentro do mundo do funk aconteceram depois que ela foi descoberta por um produtor da gravadora Furacão 2000, uma das maiores produtoras do gênero no Brasil. 

O vídeo de um cover da música "Soltinha", da cantora Priscila Nocetti (grande nome da Furacão 2000), foi compartilhado no YouTube e visto por um dos produtores da equipe, o DJ Renato Azevedo, conhecido como Batutinha. Ele a chamou para um teste para avaliar as suas habilidades no canto e nos palcos e ficou impressionado com a capacidade da cantora em coreografar no stiletto (modalidade de dança em cima de salto alto, que combina hip hop e jazz e foi popularizada pela cantora americana Beyoncé). Após a avaliação, o DJ não teve dúvidas: nascia ali uma nova estrela.

Veja o vídeo que tirou Anitta do anonimato:

Batutinha encontrou em Larissa a mistura perfeita. Ela tinha a música, a voz, a dança, o carisma e o show necessários para se destacar em um meio musical que revela e esquece talentos com a mesma velocidade como ocorre no funk. Para transformá-la em um produto rentável, Azevedo sentiu a necessidade de adotar um novo nome arístico para Larissa, que não teve dificuldades na hora da escolha. Fã do seriado "Presença de Anita", da TV Globo, a cantora aproveitou o apelido e dobrou a letra "T", orientação dada por seu produtor.

Com o primeiro contrato assinado no Furacão 2000, Anitta passou a fazer shows no Rio de Janeiro até chegar às principais rádios da cidade. Em 2011, a funkeira estreou seu primeiro single oficial, "Eu Vou Ficar", produzido por Batutinha com ideias inspiradas pela mais nova musa do funk. O clipe, uma gravação de sua apresentação ao vivo em um show do Furacão, contabiliza quase quatro milhões de visualizações no YouTube. À época, a cantora exibia um visual bem diferente do que o público conhece hoje, mas a voz marcante e o rebolado solto já eram sua marca registrada.

Ascensão

Arrematando cada vez mais fãs em suas apresentações e atraindo o público para os bailes do Furacão 2000,  Anitta ultrapassou os limites do Rio de Janeiro e ganhou espaço em outras cidades brasileiras com a música "Meiga e Abusada". O trabalho marcou a transição da cantora para uma nova fase na carreira. Após um acordo de R$ 260 mil, ela saiu da produtora que a lançou ao estrelato e passou a ser agenciada por Kamilla Fialho. Sem contrato com nenhuma gravadora, ela recebeu a ajuda de R$ 40 mil da empresária para produzir o clipe do novo single.

Anitta
Reprodução/Instagram

Filmado em Las Vegas, nos Estados Unidos, "Meiga e Abusada" foi a primeira grande produção da cantora, que foi dirigida pelo diretor americano Blake Ferber, resposável pelo clipe "Countdown", de Beyoncé. Prestes a alcançar a marca de 70 milhões de visualizações nas redes sociais, o clipe, que foi lançado em 2012, caiu nas graças da internet e deu uma visibilidade até então inimaginável para a jovem estrela do funk. A partir daí, as maiores gravadoras do país cobiçaram o nome da estrela para o seu portfólio. Em 2013, a cantora assinou o contrato com a Warner Music, gravadora de grandes artistas internacionais como Bruno Mars, Cher e a banda Avenged Sevenfold. 

Aproveitando o sucesso do clipe, Anitta e sua equipe começaram a trabalhar a todo vapor na produção de seu primeiro disco. No entanto, a cantora não havia escrito um número suficiente de canções nos tempos de Furacão 2000 para preencher um álbum completo. Os dias que sucederam o fechamento do contrato com a Warner foram de trabalho duro nas composições. Foi aí que nasceu a letra de "Tá na Mira" e "Show das Poderosas", que veio a ser um dos maiores hits da cantora e responsável por apresentá-la ao Brasil inteiro.  O clipe, dirigido por Thiago Calviño, contagiu crianças, adolescentes e adultos com um refrão chiclete e a coregrafia animada. Sucesso absoluto na internet, o "Show das Poderosas" rendeu para a artista quase 150 milhões de visualizações no YouTube e a promessa de uma revolução na música pop brasileira.

Em alta, a carioca lançou o primeiro álbum, intitulado "Anitta", em junho de 2013. O trabalho contou com os primeiros hits já conhecidos da cantora e apresentou os sucessos "Zen", "Menina Má" e "Não Para". Em pouco tempo, o CD já havia vendido mais de 120 mil cópias em todo o Brasil e ganhou o prêmio Disco de Platina. Nesta época, Anitta já faturava milhões com um dos cachês mais bem remunerados do país: R$ 150 mil, o mesmo valor cobrado por nomes mais antigos no cenário musical como Thiaguinho e Michel Teló.

Os primeiros frutos do álbum estreante vieram pouco tempo depois do lançamento. O certificado de Disco de Ouro foi conquistado apenas dez dias após a chegada do CD às lojas brasileiras. Em pouco mais de três meses, um novo recorde: 170 mil cópias vendidas e o título de Disco de Platina entraram para o currículo da jovem cantora. O  sucesso do trabalho rendeu ainda a produção de cinco clipes: "Meiga e Abusada", "Tá Na Mira", "Não Para", "Zen" e "Show das Poderosas", vencedor na categoria Melhor Clipe do Prêmio Multishow de Música Brasileira 2013.  

O sucesso nas vendas chamou a atenção da Rede Globo, que deu um jeito de integrar Anitta em sua programação. Após conquistar o topo das paradas nas rádios, a cantora recebeu o convite da emissora carioca para entrar na trilha sonora de duas novelas. Com "Zen" em "Além do Horizonte", exibida na faixa das sete, e "Meiga e Abusada", que agitou a trama "Amor à Vida" durante o horário nobre global em 2013.

Na boca do povo e figura constante na mídia, o sucesso repentino de uma cantora tão jovem foi colocado à prova: seria a carioca apenas "mais uma cantora de uma música só"? A desconfiança em torno da popstar aumentou as expectativas para o lançamento de seu segundo álbum de estúdio, "Ritmo Perfeito".

Lançado em 2014, o segundo CD da artista promoveu a parceria inédita com o rapper Projota e estreou na quinta posição dos discos mais vendidos no Brasil. Com um desempenho abaixo do álbum de estreia, a cantora conquistou mais um Disco de Ouro ao vender mais de 50 mil cópias. Os maiores hits do álbum foram "Blá Blá Blá" e "Na Batida". Além deles, outras três faixas ganharam clipes oficiais: "Cobertor", que contou com a participação de Projota, "No Meu Talento" e "Ritmo Perfeito".

Com cada vez mais fãs ao redor do país, Anitta aproveitou a boa fase para lançar também o seu primeiro DVD ao vivo.  Durante o "Show das Poderosas Tour", a cantora lotou o HSBC Arena, no Rio de Janeiro, recebendo cerca de 10 mil pessoas no espaço. Intitulado "Meu Lugar",  o show foi um dos mais produzidos da artista e dividiu o palco entre o "Céu" e o "Inferno". Mais de dez dançarinos fizeram parte do espetáculo, que ainda contou com a participação de um bailarino do Cirque du Soleil.

Veja um trecho da apresentação:

 Reconhecimento dentro e fora do Brasil

Aos poucos, a carreira meteórica da cantora começou a ganhar destaque fora do Brasil. Em 2014, ela recebeu sua primeira indicação ao Grammy Latino, prêmio mais importante da indústria musical latino-americana, na categoria Melhor Canção Brasileira. O vencedor, no entanto, foi Caetano Veloso com a música "A Bossa Nova É Foda". Mesmo derrotada, a carioca ainda fez uma apresentação da música "Zen" ao vivo na cerimônia e foi bastante elogiada pelos críticos, sendo a mais jovem cantora brasileira a se apresentar na premiação. 

No mesmo ano, a cantora também foi indicada ao prêmio de Melhor Artista Brasileiro, no MTV Europe Music Awards, versão europeia da tradicional premiação organizada pela emissora americana todos os anos. Por meio de uma votação popular, ela desbancou nomes como Marcelo D2, Pitty, Projota e MC Guimê, tornando-se a grande vencedora.

No Prêmio Multishow de Música Brasileira de 2014, a carioca recebeu indicações ao prêmio de "Melhor Música", com "Zen", e Melhor Clipe, com "Na Batida". Apesar de não ter levado nenhum troféu para casa, a cantora se apresentou ao vivo no palco da premiação com a canção "Blá Blá Blá", um de seus hits daquele ano. 

Derrotada no Grammy Latino e no Prêmio Multishow, Anitta acabou sendo o grande nome do Prêmio Globo de Melhores do Ano, exibido anualmente durante o programa "Domingão do Faustão", na TV Globo. No evento, ela foi premiada com o troféu de Música do Ano devido ao sucesso estrondoso de "Show das Poderosas". Em alta, a cantora ainda foi a personalidade homenageada pelo prêmio Jovem Brasileiro como sendo a melhor cantora jovem do país.

O "bang" na música pop

Se entre 2013 e 2014 Anitta engatinhava na carreira, em 2015 ela mirou o auge do sucesso e o acertou com um tiro certo ao lançar "Bang", o álbum que foi um verdadeiro divisor de águas em sua vida. Com o conceito artístico de Giovanni Bianco, diretor brasileiro famoso pelo trabalho com Madonna e Ivete Sangalo, o terceiro disco de estúdio de Anitta consagrou o seu nome dentro do cenário da música pop nacional. 

Lançado em outubro de 2015 pela Warner Music, "Bang" foi considerado um dos lançamentos mais aguardados pela indústria naquele ano. Em menos de três meses, o disco alcançou a terceira posição entre os CDs mais vendidos no país, com cerca de 250 mil cópias vendidas entre outubro e janeiro. Os números renderam a cantora mais um certificado de Disco de Platina para a sua coleção. 

A capa de 'Bang'
Divulgação
A capa de 'Bang'

A concepção do álbum já foi pensada no sucesso. "Bang" foi planejado do início ao fim para atingir os mais variados públicos, com hits que agradaram desde as crianças aos mais velhos. Essa, inclusive, foi uma das principais preocupações da cantora durante a produção do álbum. "Queria que esse trabalho atingisse todos os públicos, todas as idades, que o álbum fosse um tiro, uma coisa certeira, avassaladora. Quis falar sobre dar a volta por cima, do poder da mulher, dominar as pessoas. Gosto de brincar com isso, esse lado mulherão, mas ao mesmo tempo é desenhado, enfeitado", comentou a estrela no lançamento do CD.

"Bang" mostrou o amadurecimento da cantora em relação aos dois álbuns anteriores. Com faixas mais trabalhadas e a inserção de novos elementos além do funk, Anitta entregou aos fãs um trabalho com acabamento, com músicas chicletes, como "Deixa Ele Sofrer" e baladas românticas, como "Me Leva a Sério" e "Volta Amor". 

Do terceiro álbum de estúdio da cantora vieram os clipes "Deixa Ele Sofrer", "Essa Mina É Louca", "Cravo e Canela" e, claro, o explosivo "Bang", que ultrapassou a marca de um milhão de visualizações no YouTube em apenas seis horas com uma das coreografias mais marcantes da música nacional.  O vídeo fez tanto sucesso que circulou pelo mundo, recebendo paródias até de um famoso grupo de dança coreano, o Waveya.

Internacionalização

Na boca do povo no Brasil, Anitta revelou o desejo de levar sua carreira para um novo nível. Sem esconder de ninguém o sonho de lançar uma carreira no exterior, a queridinha do pop nacional aproveitou o sucesso que fez com "Bang" e criou uma versão em inglês do seu maior hit. A faixa não foi divulgada de forma oficial pela equipe da popstar, mas acabou caindo na redes sociais junto com a canção "Give Me The Night", que fez parte da trilha sonora do filme "Breaking Through", o qual ela fez uma pequena participação ao lado da atriz Bruna Marquezine. Lançado em 2015, o longa não entrou em cartaz nos cinemas brasileiros.

O pontapé na internacionalização da carreira foi dado em 2016, quando a cantora fez sua primeira parceria internacional na versão remixada de "Ginza", do colombiano J. Balvin, um dos maiores nomes do reggaeton na América Latina. A faixa alcançou o topo das paradas musicais em países como Espanha, Itália, México e Estados Unidos.

Apostando na força do reggaeton, gênero musical com infuências do hip-hop, reggae, salsa e da música eletrônica, para despontar no continente latino americano, Anitta convidou o colombiano Maluma para uma nova parceria. Lançada em julho de 2016, a música "Sim ou Não" entrou para a lista dos grandes hits da cantora. 

O clipe de "Sim ou Não", gravado no México e dirigido por Jessy Terrero, quebrou o recorde de vídeo  do YouTube mais visualizado em 24h na América Latina e fez com que a carioca virasse notícia nos principais veículos de países como Colômbia, Venezuela e o México. A música, inclusive, entrou para a lista das 50 mais reproduzidas no Spotify destes países, além da Argentina e Portugal.

Participação nos Jogos Olímpicos

O ponto alto da internacionalização da carreira aconteceu durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Ao lado de Caetano Veloso e Gilberto Gil , a cantora cantou "Sandalha de Prata" na festa olímpica e brilhou. O show foi transmitido para cerca de três bilhões de espectadores ao redor do mundo e fez com que Anitta fosse comparada a Beyoncé pela mídia internacional, que não economizou elogios à sua apresentação. Enquanto a "Billboard" americana a chamou de "nova sensação da música brasileira", o jornal "The New York Times" enalteceu o seu trabalho como sendo uma "artista que mistura samba, funk e pop mundial com elementos de artistas como Beyoncé".

A experiência de participar da abertura dos Jogos Olímpicos foi definida como um "sonho" pela popstar. A cantora comemorou o sucesso da apresentação e a boa fama que ganhou no noticiário mundo afora. "Foi o dia mais emocionante da minha vida. Tem o pós também, você quer saber tudo o que as pessoas estão falando. O nosso momento, quando entrei, foi inesquecível. Antes de eu subir, passou um filme na cabeça. Depois, quando estava lá em cima já fui mais técnica", disse a cantora no dia seguinte ao show, durante uma participação no programa "Caldeirão do Huck", na TV Globo. "Fiquei chocada com a quantidade de matéria que saiu sobre a apresentação. Fiquei muito feliz", disse. 

Anitta entre os cantores Caetano Veloso e Gilberto Gil
FABRICE COFFRINI / AFP
Anitta entre os cantores Caetano Veloso e Gilberto Gil

Em entrevista a Fátima Bernardes, a popstar reconheceu a visibilidade única que conquistou durante as Olimpíadas e afirmou que os estrangeiros estão mais acostumados com o tipo de música de seu trabalho. "É claro que a gente sabe que eu nunca na vida cantei para tanta gente, se a gente levar em consideração a quantidade de pessoas que estavam assistindo pela televisão no mundo inteiro. Mas eu acho que por conta do meu trabalho aqui no Brasil ser algo que envolve dança e música pop, uma coisa que fora do país as pessoas já estão mais acostumadas a ouvir, acaba que todo mundo fica 'e aí, quando vai começar sua carreira internacional?'".

Sobre o sonho de levar sua música para além das fronteiras do Brasil, ela revelou que trabalhou duro no projeto de internacionalização. "Há alguns anos eu venho estudado sobre isso, sobre as possibilidades de expandir o meu trabalho para outros países. Eu sei que não é um trabalho fácil. Tem que ter paciência e calma. Não é de um dia para o outro que você vai se tornar famosa. É um passo atrás do outro, com muita calma. Mas com certeza eu sabia que esse dia seria inesquecível e que me ajudaria da forma que me ajudou".

Televisão

Sucesso no cenário músical, Anitta foi ganhando cada vez mais espaço dentro da TV. Em 2013, a música "Meiga e Abusada" entrou pela primeira vez em uma trilha sonora da novela da Rede Globo: "Amor à Vida", trama que ocupou o horário nobre da emissora na época. Já em 2015, a carioca foi especialmente convidada para dar voz à faixa de abertura de "Totalmente Demais", com uma canção honônima. O hit "Bang" também embalou a trilha da novela "Haja Coração", que substituiu "Totalmente Demais" na faixa das 19h da emissora. 

Enquanto bombava nas rádios de todo o país com "Show das Poderosas", a cantora foi convidada para participar do quadro "Dança dos Famosos", do "Domingão do Faustão", em 2014, mas foi eliminada ainda na fase de classificação ao apresentar uma coreografia de lambada. Nos bastidores do programa, Anitta gerou polêmica ao faltar em muitos ensaios e por chegar atrasada na maioria deles. O ator Marcello Melo Jr. foi o grande campeão da edição. 

A carioca também fez pequenas participações como atriz na TV. Na novela "Alto Astral", de 2014,  a carioca atuou ao lado da funkeira Ludmilla dando vida a jurada de um concurso que revelaria a nova estrela do funk brasileiro. No humorístico "Vai que Cola", do canal Multishow, a cantora interpretou ela mesma e fez um show na pensão da dona Jô, papel interpretado por Catarina Abdala.

Em 2015, ela foi anunciada como a principal atração da estreia do humorístico "Tomara que Caia", exibido ao vivo pela TV Globo. No primeiro programa, a cantora interpretou uma policial e foi bastante elogiada nas redes sociais. O sucesso foi comemorado pela popstar, que revelou o seu interesse pela atuação: "Depois que me tornei cantora, iniciei aulas de interpretação por alguns anos, pois queria estar preparada para convites como esse, além de gostar muito da profissão", contou.

No mesmo ano, a cantora teve a oportunidade de trabalhar pela primeira vez como uma apresentadora. Para lançar o vídeo da música "Bang" na televisão, ela foi convidada pelo Multishow para apresentar o "TVZ", parada de clipes musicais do canal de TV pago, ao vivo para todo o país. A participação de Anitta bateu os recordes de audiência da atração e fizeram com que ela retornasse ao programa em 2016 para fazer a mesma coisa, dessa vez com o vídeo de "Essa Mina É Louca", feito em parceria com o cantor Jhama e estrelado pela atriz Isis Valverde.

Em 2016, a musa do pop brasileiro ganhou o primeiro programa de TV para chamar de seu. Ela foi escalada pelo Multishow para comandar a terceira temporada do "Música Boa Ao Vivo", anteriormente apresentado pelo cantor de pagode Thiaguinho. Na atração, a cantora fica responsável por produzir um show ao vivo com três artistas grandes artistas da música brasileira a cada programa. Ana Carolina, Luan Santana, Kelly Key, Maiara e Maraísa, Diogo Nogueira e a banda Aviões do Forró são só alguns dos nomes que já marcaram presença no palco do "Música Boa Ao Vivo".

Discografia

Capa do DVD
Divulgação
Capa do DVD "Amagedon II", com participação de Anitta

Armagedon (Furacão 2000)  - 2010

"Armagedon" foi o primeiro trabalho musical da cantora com a Furacão 2000. Nas duas edições do DVD ao vivo, a carioca dividiu o palco com grandes nomes do funk como Jonathan Costa, Os Hawaianos, MC Luan e Bola de Fogo.

8. "Eu Vou Ficar"

Armagedon II (Furacão 2000)  - 2011

Fazendo sucesso como MC, a funkeira voltou aos bailes da Furacão 2000 em 2011 para a gravação de um segundo DVD com o time A do funk.

3. "Fica Só Olhando"

Capa do álbum
Divulgação
Capa do álbum "Anitta"

Anitta - 2013

O primeiro álbum solo de Anitta foi lançado oficialmente no dia 6 de julho de 2013 pela Warner Music. O CD conta com o primeiro grande hit da cantora e deu origem à cinco singles: "Meiga e Abusada", "Show das Poderosas", "Tá na Mira", "Não Para" e "Zen".  O trabalho recebeu o certificado de Disco de Platina.

1. "Show das Poderosas"
2. "Meiga e Abusada" 
3. "Tá na Mira"
4. "Zen"
5. "Achei"
6. "Menina Má"
7. "Príncipe de Vento" 
8. "Não Para" 
9. "Eu Sou Assim"
10. "Fica Só Olhando"
11. "Proposta"
12. "Cachorro Eu Tenho em Casa"
13. "Som do Coração"
14. "Show das Poderosas" (DJ Batutinha Headshot Mix)

Capa do álbum
Divulgação
Capa do álbum "Ritmo Perfeito"

Ritmo Perfeito - 2014

O segundo álbum de estúdio da cantora foi lançado no dia 3 de junho de 2014 simultaneamente com o primeiro DVD solo, "Meu Lugar".  "Ritmo Perfeito" contou com a colaboração de Projota e deu origem à cinco singles: "Blá Blá Blá", "Cobertor", "Na Batida", "Ritmo Perfeito" e "No Meu Talento". O trabalho recebeu o certificado de Disco de Ouro. 

1. "Na Batida"
2. "Ritmo Perfeito"
3. "Música de Amor"
4. "Cobertor" (com Projota)
5. "Mulher" (com Projota)
6. "No Meu Talento"
7. "Blá Blá Blá" 
8. "Quem Sabe"
9. "Vai e Volta"
10. "Blá Blá Blá" (Extended Remix)

Capa do álbum
Divulgação
Capa do álbum "Bang"

Bang - 2015

O terceiro álbum de estúdio da carioca foi lançado no dia 13 de outubro de 2015 e consolidou o seu nome no cenário da música pop. Com a direção de arte assinada por Giovanni Bianco, "Bang" apresentou Anitta ao mundo. Do álbum vieram os singles "Deixa Ele Sofrer", "Bang", "Essa Mina É Louca" e "Cravo e Canela". O CD recebeu o certificado de Disco de Platina.

1. "Bang"
2. "Deixa Ele Sofrer"
3. "Cravo e Canela" (com Vitin)
4. "Parei"
5. "Essa Mina É Louca" (com Jhama)
6. "Atenção"
7. "Gosto Assim" (com Dubeat)
8. "Show Completo"
9. "Volta Amor"
10. "Sim" (com ConeCrew)
11. "Pode Chegar" (com Nego do Borel)
12. "Eu Sou do Tipo"
13. "Deixa a Onda Te Levar"
14. "Me Leva a Sério"
15. "Deixa Ele Sofrer" (Acústico)

Vida pessoal

Figura cada vez mais presente na mídia, Anitta sempre fez questão de manter detalhes da sua vida pessoal longe dos holofotes. Focada na carreira, a cantora declarou por diversas vezes "não ter tempo" para se dedicar a um relacionamento sério com alguém. 

O primeiro relacionamento da popstar a vir a público foi com Mr. Thug , rapper do Bonde da Stronda, logo no início da carreira. A relação durou um ano e chegou ao fim depois que a cantora descobriu uma traição por parte do rapaz em 2012. No ano seguinte, ela viveu um breve affair com Nilo Farias e o humorista Eduardo Sterblitch.

Em 2014, Anitta namorou o empresário Tuka Carvalho, herdeiro da rádio FM O Dia. A relação com ele durou aproximadamente um ano. Solteira, rumores davam conta de um suposto affair entre a popstar e o apresentador André Marques e o jogador Neymar. Sobre o craque, a carioca garante que eles são apenas amigos, mas confessa que já brigou com um ex-namorado por causa do ciúmes pelo jogador.

"Ele é bem meu amigo. Teve uma vez que eu estava namorando e saiu uma notícia que o Neymar estava em um show meu. E ele estava mesmo! E que depois me deu uma carona para o aeroporto. Aí meu amor, em casa foi uma loucura. Como eu ia explicar que isso não aconteceu? Foi um tal de comprovante de passagem de aeroporto, comprovar check-in, motorista, foi um bafo", disse ela durante uma participação do "Programa do Jô", na TV Globo.

Outro relacionamento da cantora foi com o ator global Pablo Morais, assumido em maio de 2016. O namoro durou pouco mais de dois meses e foi mantido sob muita discrição pela popstar, que evitou fazer aparições em público ao lado do cantor e pouco falou sobre a vida a dois. 

Polêmicas 

A maior polêmica envolvendo o nome de Anitta gira em torno de uma disputa entre ela e a empresária Kamilla Fialho, que agenciou a cantora quando a sua carreira ainda dava os primeiros passos. A popstar entrou no meio de uma disputa milionária com a empresária depois de romper o contrato com a produtora K2L, que pertence a Kamilla, para gerenciar sua carreira por conta própria, assim como fazem nomes como Ivete Sangalo e Claudia Leitte. 

À época, Kamilla alegou que foi pega de surpresa pela cantora e decidiu abrir um processo contra ela em 2014. Nos tribunais, a dona do hit "Bang" foi multada em quase R$ 10 milhões por ter quebrado o contrato com a K2L e a empresária Kamilla Fialho. Sendo que, em julho de 2015, a carioca teve outros R$ 3 milhões bloqueados em sua conta referentes à multa contratual com o escritório de agenciamento artístico. 

Em meio a polêmica, a estrela usou as redes sociais para falar sobre a disputa milionária e esclarecer a sua versão dos fatos. "Gostaria de informar a todos aqueles que acompanham meu trabalho que grande parte do que é publicado na imprensa sobre o processo referente à minha saída da empresa K2L não reproduz fielmente as informações que constam no próprio processo. A minha conduta e também a da minha equipe em relação a esse assunto sempre foi uma só, a de deixá-lo no lugar a que ele pertence: a esfera judicial. Nunca enviamos notas e elementos deste processo para a mídia porque sempre acreditamos que o melhor meio de buscar os nossos direitos é a Justiça e não a manipulação da opinião pública. Mas nesse momento precisei me manifestar para que notícias erradas não fiquem se propagando", declarou.

A funkeira teve Kamilla Fialho como empresária por dois anos e meio. No entanto, uma cláusula contratual indicava que a intérprete de "Cravo e Canela" deveria trabalhar por no mínimo mais seis anos para a dona da K2L. Kamilla foi uma das grandes responsáveis pelo pontapé inicial da carreira, bancando todos os custos da produção do clipe "Meiga e Abusada", diretamente de Los Angeles, em 2013. 

Além da disputa milionária, Kamilla Fialho deu origem a uma outra polêmica envolvendo a cantora. Depois que Anitta rompeu o contrato com a K2L, a empresária buscou um novo nome para seu portfólio e concorrer com a poderosa. Tratava-se de Léa Cristina Lexa Araújo da Fonseca, mais conhecida pelo público como a cantora Lexa. Kamilla apostou na intérpete de "Para de Marra" como a nova sensação do funk carioca, gerando uma rivalidade entre as cantoras e seus respectivos clubes de fãs.

Ganhando espaço no cenário do funk carioca, Lexa foi comparada a Anitta pela mídia e a popstar gerou polêmica ao desdenhá-la publicamente dizendo que "desconhecia o trabalho" da funkeira. Lexa comentou o assunto de forma irônica: "Eu admiro o trabalho da Anitta, eu torço pelo trabalho dela. Eu tô em vários sites, então a informação chega para todos, mas aí eu não sei, né? Se ela não sabe [quem eu sou], acho que daqui algum tempo ela vai ficar sabendo de qualquer forma".

Em 2016, a cantora deixou a rivalidade de lado e convidou Lexa para participar do programa "Música Boa Ao Vivo", do Multishow.  Na atração, a apresentadora recebeu a funkeira e MC Guimê para uma performance inédita. Nos bastidores do programa, Anitta brincou com a rixa envolvendo a cantora. "Gente, pelo amor de Deus! O Multishow fez eu chamar essa menina aqui, ó... Tá tentando roubar meu lugar até de apresentadora. Tô irritadíssima hoje", debochou. Por sua vez, a funkeira agradeceu a oportunidade de ter participado no programa: "Quero agradecer a Anitta por ter me recebido tão bem. Até meu look ela escolheu. Bom Demais!".

Transformação

O antes e depois da fama de Anitta é um dos mais impressionantes do meio artístico e ela nunca escondeu de ninguém que nem tudo no seu corpo é natural. A busca pela perfeição começou antes mesmo da fama. Aos 18 anos, a carioca deu os primeiros passos de sua tranformação: remodelou o nariz e turbinou os seios. Depois de bombar no País inteiro com o hit "Show das Poderosas", em 2013, a cantora foi alvo de duras críticas a sua aparência e recorreu novamente ao bisturi no ano seguinte. Desta vez, para retirar gordura da cintura, da barriga, dos culotes e renovar a prótese de silicone.

A transformação de Anitta
Reprodução/Youtube/Twitter
A transformação de Anitta

Em 2016, a cantora foi ridicularizada por internautas nas redes sociais e acabou virando até meme depois de aparecer com o rosto completamente alterado por preenchimento labial e procedimentos estéticos. A repercussão foi tão grande que ela precisou se posicionar para acalmar os ânimos. "Liguei para meu assessor para entender o que está acontecendo e estou morrendo (risos). A minha boca virou pauta nacional e eu juro pela minha vida que eu não estava sabendo. Ninguém aqui operou e achou o "Ó" e depois foi consertar. Nada disso aconteceu, eu estava vivendo, trabalhando feliz. Eu faço preenchimento nem sei mais há quanto tempo e esses dias fiz de novo. Só que nos primeiros dias fica meio inchado e eu saí na rua normal, não tô nem aí. Depois volta ao normal".

Irritada com as notícias sobre a sua boca, a cantora desabafou: "Polêmica pra mim é a situação política atual do nosso país, atentados terroristas, escolaridade da nossa população, desemprego, roubar, matar. Botar preenchimento na boca é polêmica, gente? Nesse momento no mundo deve ter umas 500 milhões de pessoas fazendo agora".

Gafes

Além de grandes hits, a funkeira e queiridinha do pop coleciona também gafes na TV. Com diversas passagens nos programas de televisão mais importantes do país, a cantora já protagonizou várias saias justas em rede nacional. 

Em 2015, Anitta marcou presença no palco do "Programa do Jô", nos estúdios da TV Globo em São Paulo, e virou assunto por ter deixado o apresentador "ouriçado" com o seu vestido ousado, recebendo várias cantadas de Jô Soares. A cara de reprovação da funkeira pelas investidas do apresentador rendeu vários memes nas redes sociais.

Já no programa apresentado por Xuxa Meneghel na Record foi marcado por um climão. A cantora se recusou a responder a maioria das perguntas feitas pela apresentadora, o que deixou a Rainha dos Baixinhos visivelmente irritada. 

Em sua passagem pelo "Domingão do Faustão", a funkeira causou uma situação incômoda ao dar um fora em Fausto Silva, que disse conhecer ela desde antes da fama. "Eu não me lembro de você", respondeu ela.

No "Mais Você", a carioca teve um surto de estrelismo e acabou levando uma bronca de Ana Maria Braga, ao vivo e em rede nacional. Durante o programa, a cantora estava tão animada com a sua presença no matinal que, ao conversar com a apresentadora, deu mais atenção para as câmeras do que para a própria anfitriã. Ana Maria perdeu a paciência e corrigiu Anitta: "Olha para mim quando eu falo, menina! Isso me dá uma aflição", disse irritada.

Todas as notícias sobre Anitta